Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
O Blog do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae é um dos veículos de comunicação em que circulam informações, produção de conhecimento, experiências clínicas e de pesquisa de seus diferentes membros. A interlocução com o público, dentro e fora do Departamento, é uma maneira de disseminar a troca no campo da Psicanálise e possibilitar a ampliação do alcance das reflexões em pauta. Fazem parte da equipe do Blog: Ana Carolina Vasarhelyi de Paula Santos, Fernanda Borges e Gisela Haddad.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

A experiência da Clínica do Testemunho Instituto Sedes Sapientae

O Blog do Departamento convidou Maria Cristina Ocariz e membros da equipe da Clínica do Testemunho para contar um pouco sobre a história de sua implementação no Sedes Sapientiae, de suas conquistas e mudanças. Vejam a seguir:


O convênio entre a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça e o Instituto Sedes Sapientiae para o início dos trabalhos do projeto piloto da Clínica do Testemunho foi firmado em 2012. Um projeto que foi resultado de um longo processo de implicação do Estado brasileiro visando congregar os diversos segmentos da sociedade civil na promoção da Memória, da Justiça e da Verdade, ao oferecer reparação psíquica às pessoas afetadas pela violência de Estado durante o período ditatorial no Brasil.

O Instituto Sedes Sapientiae, por sua vez, ao longo de seus 40 anos de história sempre ocupou um lugar de referência no enfrentamento das questões psicossociais advindas das diversas formas de violência presentes na sociedade, pautando suas atividades na defesa dos Direitos Humanos e da Democracia. A parceria entre o Estado brasileiro e o Instituto Sedes se estabeleceu, portanto, em um solo comum que participava dos mesmos ideais e desejos.

A Clínica do Testemunho Instituto Sedes Sapientiae trabalhou durante os anos 2013, 2014 e 2015 em três eixos:
1.     Atendimento individual e grupal de anistiados e familiares, com dispositivos tais como os Grupos de Acolhimento e Escuta, Grupos de Reflexão e Testemunho; Conversas Públicas sobre a temática, consideradas espaços clínicos, já que todas produziram testemunhos públicos importantes.
Atendimento psicológico aos peritos do Grupo de Trabalho de Perus que retomou, em 2015, a identificação de desaparecidos políticos cujos cadáveres foram ocultados nas valas clandestinas do Cemitério de Perus. 
2. Capacitação e formação de agentes multiplicadores na área da Saúde Mental e profissionais da Justiça para atendimento clínico e escuta diferenciada dos afetados pela violência de Estado durante a ditadura militar e seus efeitos na atualidade. 3. Pesquisa e produção de conhecimento a partir do atendimento à população específica e registro do material clínico para a elaboração de hipóteses clínicas e de insumos para políticas públicas destinadas aos afetados pela violência de Estado na ditadura e seus efeitos na violência de Estado na atualidade.
Como resultado deste terceiro eixo foi publicado o livro “Violência de Estado na ditadura civil-militar brasileira (1964-1985) : Efeitos Psíquicos e Testemunhos Clínicos” (Editora Escuta, 2015), que pode ser retirado gratuitamente na Secretaria de Cursos do Sedes.

Também foi produzido um documentário “O grito silenciado”  sobre o trabalho da Clínica do Testemunho, disponível no Youtube (https://www.youtube.com/watch?v=Pra70hBDqco) e na Biblioteca do Sedes,  além do curta-metragem “O oco da fala” (https://www.youtube.com/watch?v=TKh9ls3LAf0), que participou do Festival Internacional de Documentários “É tudo verdade” realizado em São Paulo e no Rio de Janeiro em abril de 2016.  Ambas dirigidas por Miriam Chnaiderman, estas duas produções tinham por objetivo deixar um registro histórico, político, ético e psicológico dos anos da ditadura no Brasil, com o objetivo de que “Não se repita, que nunca mais aconteça”.

Lamentavelmente estamos vivendo um momento político no Brasil que contraria nossas expectativas inicias, mas continuamos recebendo demandas de atendimento, já que as Clínicas do Testemunho construíram um espaço político clínico no Brasil de credibilidade e confiança.

 Foi neste clima que assinamos dois (2) novos convênios para trabalhar nos próximos dois anos em uma dupla vertente: a) pelo projeto da Comissão de Anistia na implementação de dispositivos e núcleos de apoio e atenção psicológica aos afetados diretos e/ou indiretos da violência do Estado de exceção; b) em um novo projeto complementar, financiado pelo Fundo Newton, em que oferecemos cursos e supervisões de capacitação para atores que atuam no enfrentamento cotidiano de violência que, segundo relatório apresentado pela Comissão Nacional da Verdade, constitui, principalmente entre a população mais jovem e socialmente vulnerável, “uma questão nacional de Saúde Pública”. Estas atividades formativas serão realizadas em parceria com os profissionais da Saúde Mental, Alcool e outras Drogas, da Assistência Social e da Justiça envolvidos com o atendimento de vítimas de graves de violações de Direitos Humanos na atualidade, sujeitas que estão às sequelas traumáticas que demandam uma elaboração que poderá ser realizada através do atendimento médico e psicossocial, em que nós como psicanalistas, desejamos contribuir.
Este projeto será desenvolvido em parceria com os professores Stephen Frosh e Bruna Seu, do Birkbeck College da Universidade de Londres, ambos do Departamento de Estudos Psicossociais da Escola de Ciências Sociais, Historia e Filosofia. Nos próximos 15, 16 e 17 de junho realizaremos o 1º Encontro no Sedes com nossos parceiros do Reino Unido, cujo convite aos membros do Departamento de Psicanálise já foi enviado para que participem da mesa redonda sobre  “Violência, Psicanálise e Estudos Psicossociais”  que acontece na quinta 16 de junho, das 19h às 22h  e do seminário sobre “Violência de Estado e experiência clínica”  na sexta-feira, 17 de junho, das 10h às 13h, no Auditório do Instituto. Durante a X Conversa Pública, que será realizada na quinta dia 16, será exibido o filme de Miriam Chnaiderman “O Oco da Fala”, com testemunhos recolhidos durante estes três anos de trabalho. Para a XI Conversa Pública que será  sexta feira dia 17, contaremos com participação do coordenador da área técnica de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas da Secretaria de Saúde do Município de São Paulo, Dr. Roberto Tikanori Kinoshita.

Acreditamos que no momento político e social em que vivemos, trabalhos como o da Clínica do Testemunho são espaços fundamentais de resistência e de defesa dos direitos básicos do cidadão. Participar desta empreitada do Estado brasileiro em parceria com o Instituto Sedes Sapientiae significa  consolidar a trajetória histórica desta instituição que  jamais recuou diante de seu compromisso em prol da defesa dos Direitos Humanos.

Maria Cristina Ocariz

Paula Salvia Trindade

Augusto Stiel Neto


Equipe da Clínica do Testemunho Instituto Sedes Sapientiae

Nenhum comentário:

Postar um comentário